Revista Tema

Uma postagem rápida e caceteira de autopromoção para me promover a mim próprio! A Revista Tema, uma publicação do Serpro, de agosto de 2014, conta com um artigo escrito por mim, Ronaldo Agra e Viviane Malheiros. O artigo é sobre a Análise de Redes Sociais no âmbito do Governo. O artigo começa na página 27 e você pode conferir na própria página da revista. Leiam, porque se tem meu nome no artigo, então é porque é bom! 😛

http://tema.serpro.gov.br/pub/serpro/?numero=224

Dados Abertos

Enquanto escrevia o Alfred, me deparei com alguns problemas para criar determinados utilitários. O primeiro foi o utilitário de Correios. Para minha completa tristeza, e até mesmo estranheza, os dados não são abertos. Pior, os Correios tentam proteger as informações de CEP para evitar que outras pessoas o obtenham através de “outros métodos”. Tudo bem, pensei, talvez seja apenas esta empresa a fazer isto.

Que engano! Praticamente todas as esferas do governo não fornecem meios padronizados, ou pelo menos práticos, para se obter os dados que deveriam ser públicos. E quando digo práticos e acessíveis, não quero dizer uma página HTML formatada com os dados. Estou falando de Webservices, XML, JSON e coisas do tipo. Consultar o endereço por CEP é só um exemplo bem simples. Mas imagine se todas as informações passíveis de se tornarem públicas estivessem acessíveis aos desenvolvedores! Imagine o cruzamento fenomenal de informações que poderia ser feito. Porque não publicar de forma acessível os dados sobre roubos de carros na Internet? Em conjunto com as informações de CEP cada desenvolvedor poderia criar uma aplicação própria para monitorar como andam as condições nas ruas.

E se os Correios liberassem as informações onde se encontram todas as caixas postais de forma mais fácil? Você poderia combinar esta informação com o Google Maps e fazer um aplicativo simples que apenas diria ao usuário de um iPhone se no lugar onde ele está tem alguma caixa postal próxima. Imagine nas infinitas possibilidades se os dados dos censos realizados pelo IBGE (aqueles passíveis de serem publicados) estivessem acessíveis através da internet por um Webservice livre e aberto. E todas são informações que não colocam em risco a segurança nacional. Não ferem a privacidade de ninguém. São apenas informações que deveriam estar disponíveis de forma acessível e “legível” para um computador.

Mas, eu vou além. As empresas em geral, não vou dizer apenas as brasileiras, também deveriam aderir a esta onda. Porque o Submarino não fornece um WebService que me permita apresentar seus produtos da forma como eu quiser? Eu detesto aqueles banners ridículos que eles disponibilizam. As montadoras de carros também poderiam aderir de alguma forma. Todas as empresas de comércio eletrônico também. Perceba que a Submarino precisou fazer seu próprio aplicativo iPhone. Para mim, bastaria para eles disponibilizar uma API de acesso aos dados de seus produtos. Muitos aplicativos para iPhone, Android e Windows Mobile surgiriam naturalmente.

E eu pensava que eu era louco por ter estas ideias. Mas, para minha completa felicidade, descobri que não sou o único. Na minha recente presença no Consegi 2010 conheci o @alegomes, gente fina e que, após saber que faço “parsing” de HTML para obter dados dos Correios, me informou que já existe uma iniciativa semelhante mundo à fora. Então, para aqueles que se interessam pelo assunto, vejam este link e acessem o documento que está disponível lá. Mais legal ainda, veja que na Inglaterra já existe algo assim, trata-se do http://data.gov.uk/. Fica, então, mais um pensamento: será que o Governo de um País não poderia se beneficiar fortemente desta prática? Será que o próprio governo do país não poderia tirar proveito desta rede de desenvolvedores que iriam lhe auxiliar com diversos tipos de aplicativos? E também da análise dos dados!

Será que eu estou sonhando? Qual sua opinião a respeito? Deixa nos comentários aí!