Valeu a Pena? Parte 2: Vender

Vamos à parte dois da série “Valeu a Pena?”. Agora é hora de escrever sobre esta reviravolta, já que eu sempre disponibilizei meus aplicativos sob licenças livres, como GPL, Apache e LGPL. Primeiro, eu sempre achava um absurdo os valores praticados pela Microsoft. Eu não comprava aplicativos e pirateava mesmo, com todo orgulho. Com todo amor. Na maior parte do tempo eu usei Windows, Office, Photoshop e tudo mais pirata. Isto começou a mudar quando passei a usar mais Linux e me focar principalmente na programação. E, desde então, meio que peguei uma aversão a pagar por software.

Parecia estranho. Aliás, é estranho, pois um produto físico, você o vê, sente, toca. Software, não. Parece que seu dinheiro evaporou. E também eu vinha de uma conduta de baixar aplicativos indiscriminadamente sem nem saber se precisaria ou não. Eu, simplesmente, não sabia parar, ler as especificações de um programa, baixar a versão demo para testar e ver se valeria a pena gastar a grana. Eu ia direto na cópia pirata. Não importava testar o programa. Comprar? Pffff… é para os fracos. Eu tenho certeza que muitos de vocês estão se sentindo iguais a mim. 🙂 Mas, vocês precisam mudar, igual a como eu mudei.

E esta visão começou a mudar quando comprei o iPhone e vi tantos aplicativos por 1 dólar. Ainda assim, comecei pirateando! Mas perceba a conduta errada: eu gastei 1000 reais em um iPhone mas me negava a pagar 1 dólar por um bom aplicativo. É a velha questão de que não conseguimos ver o valor de um aplicativo. Parece que pagar por eles é ser trouxa. Muitos pensam assim.

Minha primeira experiência, vendendo um aplicativo, foi com o EncomendaZ. O preço? “Pague Quanto Quiser”. E o retorno foi muito bacana. Desde pessoas que me chamaram de maluco, pois tudo tem que ter um preço bem definido, a pessoas que acharam a ideia excelente. Os valores pagos? Foi desde 1 real a até 29,90 reais. Minha atual jornada está em disponibilizar aplicativos pagos na Android Market. Por enquanto, tenho percebido que não está valendo muito a pena. Mas talvez seja coisa momentânea. Preciso de mais tempo para analisar. Estou tentando agora o uso do AdMob para ver se propaganda vale mais a pena.

Um aprendizado: a maioria das pessoas não gosta de decidir, por conta própria, o valor de algo. Elas preferem que você diga o quanto vale e pronto. Mas toda essa experiência tem sido bem legal. E outro detalhe que sempre ouvi de Alexandre Gomes: é fácil, muito fácil, vender bits. Veja bem: imagine se fosse um guri de 14 anos que tivesse feito o EncomendaZ? Difícil? Não acho. Veja quantos guris estão ganhando muita grana na Apple Store. Quanto de aporte financeiro essa gurizada precisou? Fora a grana do pai para sustentar elas: nada. Você precisa de vontade, empolgação, entusiasmo, não desistir na primeira tentativa e por aí vai. O resto, a internet faz por você.

Enfim, meus caros, tem valido a pena vender os aplicativos. Não estou milionário. Longe disso. Mas estou ganhando uma experiência muito interessante sobre isto. Quem sabe, um dia posso usar isto a meu favor e ficar rico? Estou focado, principalmente, em explorar o que muitos programadores deixam de lado: User Experience. Ou simplesmente UX. Eu já fiz um post sobre isto, quando critiquei arduamente os programadores que fazem sistemas horrorosos. E minha experiência nisto tem comprovado que as pessoas estão cada vez mais interessadas em sistemas bons, fáceis de usar e bonitos. Pode acreditar! 🙂